Notícia




Conheça a pequena Duda, a primeira criança da região a realizar o Implante Coclear


Conheça a pequena Duda, a primeira criança da região a realizar o Implante Coclear

Há um ano implantada, mãe já observa várias melhorias por conta do tratamento


Animada, brincalhona e muito carinhosa, esses são apenas alguns dos adjetivos que podemos usar para descrever a pequena Maria Eduarda de Souza Santos “Duda”, de 6 anos, moradora de Poloni. Apesar da pouca idade, ela já é uma guerreira, pois luta contra um problema auditivo que tem desde que nasceu e, hoje, após pouco mais de um ano do Implante Coclear, já teve vários avanços.

Duda é a primeira criança implantada da região de São José do Rio Preto. A cirurgia, apenas do lado direito, foi realizada na Santa Casa de Rio Preto no dia 23 de fevereiro de 2013, por meio do convênio hospitalar que a família possui. O implante foi ativado no dia 10 de abril com muita emoção. “Foi um momento único, todos nos emocionamos quando a Duda conseguiu ouvir os primeiros barulhos”, conta a mãe, Simoni Estela de Souza.

Além de bem esperta, Duda consegue fazer tudo sozinha. “Ela mexe no computador, joga joguinhos, procura tudo que ela quer, é alfabetizada, e já consegue emitir alguns sons”, diz Simoni. A melhora grande foi sentida após a cirurgia. “Melhorou bastante, antes ela era muito nervosa, depois do implante houve uma evolução grande. Está mais calma, mais concentrada, percebe os barulhos e responde quando a chamamos de Duda”, completa.

Segundo a mãe, a previsão é de que 2 anos após a cirurgia ela já esteja conseguindo se comunicar. “É tudo muito novo pra ela, mas com os acompanhamentos certos e os ajustes feitos no aparelho ela está melhorando muito e logo conseguirá começar a falar”, enaltece.

Para se alfabetizar, a pequena também frequentou a Escola Municipal de Ensino Infantil de Poloni e foi acompanhada pela Marisa Pereira Leite da Rocha, pedagoga com habilitação na área de Deficiência Auditiva, Intelectual e pós-graduada em Educação Especial. Duda e toda sua turminha recebiam as aulas de Libras (Língua Brasileira de Sinais). “Isso foi muito importante, pois ela recebia o mesmo aprendizado, mas em Libras e os amiguinhos também aprendiam, facilitando a comunicação entre eles”, afirma a professora.

Descoberta

Duda nasceu no dia 31 de março de 2007, de 7 meses, mas como estava bem de saúde não precisou ficar em incubadora. A mãe conta que a surdez foi descoberta através do Teste da Orelhinha, pois a pequena não passou em dois testes. Foi então que fizeram o “Bera”, um exame mais detalhado e que identificou a deficiência auditiva total no ouvido direito. “A Duda também foi perdendo gradativamente a audição do outro ouvido”, lembra a mãe.

Desde o primeiro aninho o casal Simoni e Peterson Ricardo dos Santos começaram a ir atrás para fazer o implante, porém como a pequena Duda possui outra patologia não foi possível a realização por meio do SUS – Sistema Único de Saúde. “Foi um susto, mas sempre tivemos amor e união, o que ajudou a superar essa fase difícil”, explica Simoni.

Só com 5 anos foi que a família conseguiu o implante por meio do convênio.

Implante Coclear

O implante coclear é um dispositivo eletrônico de alta tecnologia, também conhecido como ouvido biônico, que estimula eletricamente as fibras nervosas remanescentes, permitindo a transmissão do sinal elétrico para o nervo auditivo, a fim de ser decodificado pelo córtex cerebral. O funcionamento do implante coclear difere do Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI). O AASI amplifica o som e o implante coclear fornece impulsos elétricos para estimulação das fibras neurais remanescentes em diferentes regiões da cóclea, possibilitando ao usuário, a capacidade de perceber o som.

Tratamento

Para que o tratamento venha surtindo efeito, a pequena Duda enfrenta uma maratona de atividades. De segunda a sexta-feira das 08h às 12h frequenta as aulas do 2º ano na Escola Estadual Alice Sales Cunha acompanhada por uma interlocutora de Libras que auxilia nas atividades.

De segunda-feira das 13h30 às 17h e de quarta-feira das 13h às 16h frequenta a Sala de Recursos para aprofundamento em Libras com a professora Marisa. De quarta-feira das 16h às 16h30 e de sexta-feira das 13h às 13h30 tem acompanhamento com a Fonoaudióloga do município.

“Sempre acompanhamos a Duda nas terapias, pois esse conjunto de tratamentos possibilita a melhora como um todo”, finaliza Simoni.


Fotos