Notícia




CDHU sorteia 150 casas em Poloni


CDHU sorteia 150 casas em Poloni

Imóveis vão beneficiar famílias de baixa renda


No último domingo, 16 de novembro, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) sorteou 150 moradias em Poloni. O investimento na construção das casas é de R$ 14,5 milhões. O evento contou com a presença do secretário de Estado da Habitação, Marcos Penido, prefeito Rinaldo Escanferla (Curimba), vice-prefeito Antônio José Passos, vereadores, outras autoridades e população.

O sorteio das casas do Conjunto Habitacional Poloni “C” aconteceu no Campo de Futebol Municipal e contou com a participação de 645 famílias inscritas, das quais 88% têm renda mensal de até três salários mínimos. “O sorteio foi feio com a maior transparência possível, conforme a lei da CDHU. Os políticos e autoridades presentes estiveram só para acompanhar e garantir que tudo saísse sem nenhuma dúvida ou falha e a população também. Graças Deus tudo saiu bem”, afirma o prefeito Curimba.

“Habitação é o sonho de toda família e nosso Governo do Estado não poupa esforços em realizar esse sonho. Porque com Habitação fazemos a justiça social, atendendo a população de baixa renda, investindo cada centavo do imposto pago com honestidade e responsabilidade”, disse o secretário Penido, que autorizou a construção de mais 100 moradias em Poloni.

Do total de imóveis oferecidos pela CDHU, 7% são destinados a pessoas com deficiência, 5% aos idosos, 4% para policiais e agentes penitenciários. Em Poloni, 20 unidades também foram reservadas para famílias que vivem em áreas de risco. As demais moradias foram sorteadas entre a população em geral inscrita.

As famílias contempladas serão convocadas para o processo de habilitação. Na ocasião, deverão comprovar os requisitos exigidos para participar do programa. Para ter direito a uma das casas é preciso ter renda entre um e dez salários mínimos, não possuir imóvel ou financiamento habitacional e não ter sido atendido em outros programas habitacionais de interesse social. Além disso, é preciso ser morador no município há pelo menos três anos ou atestar que o chefe da família trabalha na cidade no mínimo pelo mesmo período.

As casas terão dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro, distribuídos em 56,67 m² de área construída. Os imóveis contarão com piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos na cozinha e no banheiro, laje, estrutura metálica no telhado, muro de divisa entre os lotes, calçada de acesso ao imóvel e sistema de aquecimento solar para a água do chuveiro. O conjunto será entregue com total infraestrutura urbana.

O prazo para quitar o financiamento habitacional será de até 25 anos. As prestações receberão subsídios do governo estadual, sendo calculadas de acordo com a faixa de renda de cada família. Assim, aquelas que ganham de um a três salários pagarão o equivalente a 15% do rendimento.

Fotos: Clovis Deangelo e Valdecir Cochito


Fotos